Custom Search

quarta-feira, fevereiro 23

Seção e encurtamento

        Em desenho técnico busca-se, sempre, a forma mais simples, clara e prática de representar o maior número possível de informações.
        Você já viu como a representação em corte facilita a interpretação de elementos internos ou de
elementos não visíveis ao observador. Mas, às vezes, o corte não é o recurso adequado para mostrar a forma de partes internas da peça. Nestes casos, devemos utilizar a representação em seção, que é um dos assuntos que você vai aprender nesta aula. As representações em seção também são normalizadas pela ABNT (NBR10067/1987).
        Observe a perspectiva, a seguir:
        Este desenho mostra uma peça longa, com forma constante.
        Em desenho técnico existe um recurso que permite simplificar a representação de peças deste tipo: é por meio do encurtamento, outro assunto que você vai estudar nesta aula.
        E tem mais: num mesmo desenho, você pode encontrar representações de seções e também de encurtamento.

Representação em seção
        Secionar quer dizer cortar. Assim, a representação em seção também é feita imaginando-se que a peça sofreu corte.
        Mas existe uma diferença fundamental entre a representação em corte e a representação em seção. Você vai compreender bem essa diferença, analisando alguns exemplos.
        Imagine o modelo representado a seguir (modelo de plástico nº 15) secionado por um plano de corte transversal. Analise a perspectiva do modelo, atingida pelo plano de corte e, embaixo, as suas vistas ortográficas com a representação do corte na vista lateral.
        A vista lateral mostra a superfície atingida pelo corte e também a projeção da parte da peça que ficou além do plano de corte. A vista lateral permite analisar a parte atingida pelo corte e também outros elementos da peça.
        Veja agora o desenho técnico do mesmo modelo, com representação em seção.
        Note que, ao lado da vista frontal está representada a seção AA. Esta seção mostra a parte maciça atingida pelo plano de corte. A seção representa o perfil interno rebatido da peça ou de uma parte da peça.
        A indicação da seção representada pela linha traço e ponto com traços largos nas extremidades aparece na vista frontal, no local onde se imaginou passar o plano de corte.
        A linha de corte onde se imagina o rebatimento da seção deve ser sempre no centro do elemento secionado.
        Enquanto a representação em corte mostra as partes maciças atingidas pelo corte e outros elementos, a representação em seção mostra apenas a parte atingida pelo corte.
Seção fora da vista
        Os desenhos técnicos com seção fora da vista são semelhantes, em alguns pontos, aos desenhos técnicos em corte. Observe o próximo desenho.
        Compare as vistas ortográficas desta peça em corte e em seção.
        Observe as semelhanças e as diferenças entre os dois desenhos.
        Semelhanças: Em ambos os casos imaginaram-se cortes na peça; eles apresentam indicação do plano de corte e as partes maciças atingidas pelo corte são hachuradas.
        Diferenças: No desenho em corte, a vista onde o corte é representado mostra outros elementos da peça, além da parte maciça atingida pelo corte, enquanto que o desenho em seção mostra apenas a parte cortada; a indicação do corte é feita pela palavra corte, seguida de duas letras maiúsculas repetidas, enquanto que a identificação da seção é feita pela palavra seção, também seguida de duas letras maiúsculas repetidas.        Você notou que o rebaixo na vista frontal apresenta duas linhas que se cruzam em diagonal? Essas duas linhas contínuas estreitas, que aparecem cruzadas na vista frontal, indicam que a superfície assinalada é plana, derivada de uma superfície cilíndrica.
        Em desenho técnico, quando queremos indicar que uma superfície é plana, obtida a partir de superfície cilíndrica, utilizamos essas duas linhas cruzadas.
        Veja, a seguir, outra maneira de posicionar a seção fora da vista.
        Neste caso, a seção aparece ligada à vista por uma linha traço e ponto estreita, que indica o local por onde se imaginou passar o plano de corte.
        Uma vez que a relação entre a seção e a parte da peça que ela representa é evidente por si, não é necessário dar nome à seção.

Seções sucessivas fora da vista

        Quando se tratar de uma peça com vários elementos diferentes, é aconselhável imaginar várias seções sucessivas para analisar o perfil de cada elemento.
        No desenho técnico, as seções sucessivas também podem ser representadas: próximas da vista e ligadas por linha traço e ponto; em posições diferentes mas, neste caso, identificadas pelo nome. Compare as duas formas de representação, a seguir:
        A seção AA representa o perfil da espiga redonda com rebaixo. Sabemos que há um rebaixo por causa das linhas cruzadas, que são indicadoras de superfície plana. A seção BB representa o perfil da parte cilíndrica, atravessada por um rasgo de forma retangular.

Seção dentro da vista
        A seção pode ser representada rebatida dentro da vista, desde que não prejudique a interpretação do desenho. Observe a próxima perspectiva em corte e, ao lado, sua representação em vista ortográfica, com a seção representada dentro da vista.
        Para representar o contorno da seção dentro da vista, usa-se a linha contínua estreita. A parte maciça é representada hachurada. Quando a seção aparece rebatida dentro das vistas do desenho técnico, ela não vem identificada pela palavra seção, seguida de letras do alfabeto.
        Na seção dentro das vistas também não aparece a indicação do plano de corte.
Seção interrompendo a vista
        Observe a perspectiva em corte de uma peça sextavada e, ao lado, sua representação em vista ortográfica com uma seção.
        Quando a seção é representada interrompendo as vistas do desenho técnico, ela não vem identificada pela palavra seção, seguida pelas letras do alfabeto.
        Na seção interrompendo as vistas não aparece a linha indicativa de corte. A interrupção da vista é feita por uma linha que você já conhece: a linha de ruptura.
        Observe novamente a vista ortográfica e veja que os dois lados interrompidos da vista frontal estão representados com linha de ruptura.

Seções enegrecidas
        Quando a área da seção é a de um perfil de pouca espessura, ao invés de se representarem as hachuras, o local é enegrecido.
        As seções enegrecidas tanto podem ser representadas fora das vistas como dentro das vistas, ou, ainda, interrompendo as vistas. Veja um exemplo de cada caso.





Encurtamento
        Certos tipos de peças, que apresentam formas longas e constantes, podem ser representadas de maneira mais prática.
        O recurso utilizado em desenho técnico para representar estes tipos de peças é o encurtamento.
        A representação com encurtamento, além de ser mais prática, não apresenta qualquer prejuízo para a interpretação do desenho.
        Nem todas as peças podem ser representadas com encurtamento. A seguir você vai conhecer as condições para que se possa usar este tipo de representação.

Condições para representação com encurtamento

        O encurtamento só pode ser imaginado no caso de peças longas ou de peças que contêm partes longas e de forma constante. Veja o exemplo de um eixo com duas espigas nas extremidades e uma parte central longa, de forma constante. Imagine o eixo secionado por dois planos de corte, como mostra a ilustração.
        Como a parte compreendida entre os cortes não apresenta variações e não contém elementos, você pode imaginar a peça sem esta parte, o que não prejudica sua interpretação.
Mais de um encurtamento na mesma peça
        Certos tipos de peças podem ser imaginadas com mais de um encurtamento. Observe a chapa com quatro furos, por exemplo. Você pode imaginar um encurtamento do comprimento e outro no sentido da largura, sem qualquer prejuízo da interpretação da peça ou de seus elementos.
        O encurtamento pode ser imaginado nos sentidos do comprimento, da altura e da largura da peça. Pode-se, também, imaginar mais de um encurtamento no mesmo sentido, como mostra o desenho a seguir.
Representação do encurtamento no desenho técnico
        Nas representações com encurtamento, as partes imaginadas cortadas s
        Nos desenhos técnicos confeccionados à máquina, pode-se optar pela linha contínua estreita em ziguezague para representar os encurtamentos.

Representação com encurtamento e seção
        É muito comum, em desenho técnico, a seção aparecer na representação com encurtamento. Aplicando encurtamento e seção num mesmo desenho, economizamos tempo e espaço. Veja um exemplo.
        O suporte, representado em perspectiva, é uma peça que tem várias partes longas, onde você pode imaginar encurtamentos. Na vista ortográfica desta peça é possível representar, ao mesmo tempo, os encurtamentos e as seções.
        Note que a peça está representada através da vista frontal. Neste desenho estão representados 4 encurtamentos e 4 seções. Duas seções estão indicadas na vista frontal e representadas fora da vista: Seção AA e Seção BB. Uma seção aparece rebatida dentro da vista. Quando a seção vem rebatida na vista, não é necessário dar-lhe um nome. Por fim, observe que no encurtamento da parte inclinada aparece representada a quarta seção.



Referência: http://destec.no.sapo.pt

2 comentários:

  1. ESTAS INFORMAÇOES ME AJUDARAM MUITO PARA UMA APRESENTAÇÃO

    ResponderExcluir
  2. mto bom a explicação vlw ae ajudaram mto

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.