Custom Search

sexta-feira, fevereiro 18

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos

        Você já sabe que peças da área da Mecânica têm formas e elementos variados. Algumas apresentam rebaixos, outras rasgos, chanfros etc.
        Para interpretar o desenho técnico de modelos como esses, você vai precisar de
outros conhecimentos, além dos princípios de projeção ortográfica que já aprendeu nas aulas anteriores.
        Todos os elementos que aparecem no desenho técnico - linhas, símbolos, números e indicações escritas - são normalizados. É a ABNT, por meio da norma NBR 8 403, que determina quais tipos de linhas devem ser usadas em desenhos técnicos, definindo sua largura e demais características.
        Cada tipo de linha tem uma função e um significado. É o que você vai aprender nesta aula. Além disso, você ficará sabendo como se faz a projeção ortográfica de sólidos geométricos com elementos paralelos e oblíquos.
        Para ser bem-sucedido, você deverá acompanhar com interesse as instruções, fazer todos os exercícios com atenção e reler o conteúdo quantas vezes forem necessárias, até entender bem cada assunto.

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos
        O primeiro modelo prismático com elementos paralelos a ser examinado é o prisma com rebaixo, que corresponde ao modelo de plástico nº 1.
        Estudando as projeções de diversos modelos, você aprenderá a interpretar todos os tipos de linhas empregadas em desenho técnico.

Linha contínua larga
        A linha usada para representar arestas e contornos visíveis é a linha contínua larga.

        Agora, veja a aplicação da linha contínua larga na representação da projeção ortográfica do prisma com rebaixo.
        Observando o modelo de frente, você terá uma vista frontal projetada no plano vertical.
        Todos os pontos do modelo estão representados na vista frontal, mas apenas as arestas visíveis ao observador são desenhadas com a linha contínua larga.
        Observando o modelo de cima você terá a vista superior projetada no plano horizontal.
        Todas as arestas visíveis ao observador são desenhadas na vista superior.
        A face do prisma, indicada pela letra A, é um retângulo perpendicular ao plano horizontal. Logo, a projeção da face A no plano horizontal reduz-se a um segmento de reta.
        E, finalmente, observando o modelo de lado, você terá a vista lateral esquerda projetada no plano lateral.
        A face B do prisma, que forma o rebaixo, é um retângulo perpendicular ao plano lateral.
        No desenho, a projeção da face B é representada por uma linha contínua larga.
        Veja agora a projeção do modelo nos três planos de projeção ao mesmo tempo.


Linha contínua estreita
        Imagine que o modelo tenha sido retirado. Observe suas vistas representadas nos planos de projeção.
        As linhas contínuas estreitas, que aparecem no desenho ligando as arestas das vistas, são chamadas de linhas projetantes auxiliares.
        Essas linhas são importantes para quem está iniciando o estudo da projeção ortográfica, pois ajudam a relacionar os elementos do modelo nas diferentes vistas. Elas são imaginárias, por isso não são representadas no desenho técnico definitivo.
        Imagine o rebatimento dos planos de projeção, como mostram as ilustrações a seguir, e observe a disposição das vistas ortográficas:
        No desenho técnico identificamos cada vista pela posição que ela ocupa no conjunto. Não há necessidade, portanto, de indicar por escrito seus nomes. As linhas projetantes auxiliares também não são representadas. Observe novamente o modelo e suas vistas ortográficas:


Linha tracejada estreita
        Dependendo da posição que o elemento ocupa no modelo, é necessário usar outro tipo de linha para representá-lo.
        Quando o elemento não é visível ao observador, ele deve ser representado pela linha para arestas e contornos não visíveis, simbolizada por uma linha tracejada estreita.
        Vamos ver a aplicação desse tipo de linha na projeção ortográfica do modelo prismático com um rasgo central paralelo, representado a seguir. Esta perspectiva corresponde ao modelo de plástico nº32:
       Analise a figura abaixo. Ela mostra a projeção do modelo visto de frente no plano vertical.
       As faces que formam o rasgo central são retângulos perpendiculares ao plano vertical.
       Na vista frontal, esse rasgo aparece representado pela linha para arestas e contornos visíveis.
        Veja agora a projeção do modelo no plano horizontal. As arestas do rasgo, visíveis ao observador,
são representadas na vista superior pela linha larga contínua.
        E, finalmente, observe o modelo de lado. As arestas x e y, que limitam a face rebaixada do modelo, não são visíveis e portanto são representadas pela linha tracejada estreita.
        Veja as três vistas projetadas, ao mesmo tempo, nos três planos de projeção.
        Agora, imagine que o modelo foi removido e os planos de projeção rebatidos. Você terá, desta forma, as vistas ortográficas do modelo nº 32.
        Acompanhe, agora, a demonstração da projeção ortográfica de outro modelo com elementos paralelos (figura abaixo).
        Este modelo prismático tem dois rebaixos laterais localizados na mesma altura e um rasgo central
mais profundo.
        Observe a projeção da vista frontal. O rasgo central e os rebaixos estão representados pela linha para arestas e contornos visíveis:
        Veja, agora, a vista superior.
        Todas as arestas que definem os elementos do modelo são visíveis de cima e estão representadas na vista superior pela linha para arestas e contornos visíveis.
        Por último, analise a projeção da vista lateral esquerda.
        As projeções das arestas que formam os rebaixos são coincidentes. Essas arestas são representadas na vista lateral esquerda pela linha para arestas e contornos visíveis.
        As arestas que formam o rasgo central não são visíveis de lado, por isso estão representadas pela linha tracejada estreita.        Analise as três vistas projetadas ao mesmo tempo nos três planos de projeção, como mostra a figura abaixo.
        Observe as vistas ortográficas do modelo após o rebatimento dos planos de projeção. Você pode identificar, na figura abaixo, a linha para arestas e contornos visíveis e a linha para arestas e contornos não visíveis.


Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos
        Para entender a projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos, vamos utilizar o modelo representado a seguir.
        Trata-se de um modelo prismático com um rebaixo paralelo e um elemento oblíquo - o chanfro - que corresponde à face assinalada com a letra A no desenho anterior.
        Observe a representação da vista frontal. Note que todas as arestas visíveis são representadas em verdadeira grandeza na vista frontal:
        A face A do modelo, isto é, a parte chanfrada, é formada por um retângulo oblíquo ao plano horizontal. Por essa razão, a projeção de A na vista superior não aparece representada em verdadeira grandeza, como você pode observar nas figuras seguintes.
        A face A também ocupa uma posição oblíqua em relação ao plano de projeção lateral. Assim sendo, a vista lateral também não reproduz A em verdadeira grandeza:
        O rebaixo e o chanfro estão localizados na mesma altura em relação à base do modelo. A projeção da aresta do chanfro coincide com a projeção da aresta do rebaixo. Neste caso, em desenho técnico, apenas a aresta visível é representada.
        Observe novamente o modelo representado em perspectiva e suas vistas ortográficas:


Um comentário:

  1. Excelente explicação, me ajudou muito a relembrar desse tipo de corte.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.